terça-feira, 28 de junho de 2011

Religiosos X Gays: uma guerra sem fim?

Em textos anteriores, eu defendi a união estável de homossexuais. Um direito mais do que justo para um país que diz ser democrático. Afinal, se um homossexual vota e paga impostos, ele tem os mesmos direitos que uma pessoa heterossexual.

A notícia é antiga, mas aprofundando a minha pesquisa, não percebi que os homossexuais fizeram uma provocação à Igreja Católica na última Parada Gay realizada em São Paulo.

170 cartazes foram distribuídos ao longo da Avenida Paulista, onde 12 modelos masculinos, representando ícones da Igreja Católica como São Sebastião e São João Batista, apareciam seminus ao lado das mensagens: “nem santo te protege” e “use camisinha”.

Liberdade de expressão a todos os seguimentos da sociedade? Sim. O artigo 5º nos seus incisos IV e IX da Constituição Federal de 1988 nos ampara com relação a isso. Vamos ler na íntegra:

“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Repudio quaisquer formas de violência contra um gay, mas vejo que eles não fazem jus para serem respeitados. No instante em que os homossexuais provocam os religiosos, eles receberão uma resposta à altura. É a famosa lei da “ação-reação”.

Um outro ponto delicado nessa guerra entre religiosos contra os gays é a tão temida PL 122/2006, cuja autoria é da senadora Marta Suplicy (PT/SP). Lendo todo o Projeto de Lei, eu não vi motivo para tanto estardalhaço como está sendo comentado na TV e nas redes sociais. No modo geral, a lei quer punir por situações como injúrias contra um homossexual, defender a manifestação de pensamento deste grupo social. Deixarei um link para que você, leitor, possa conhecer o texto da PL 122/2006 e para tirar as suas próprias conclusões.

Você deve estar perguntando: será que dá para viver em harmonia? Sim, com certeza. No caso dos gays, antes de exigir respeito, dê o respeito. Da mesma forma que eu não sou obrigado a não seguir o Cristianismo, eu não sou obrigado a ver dois homens ou duas mulheres se beijando no meio da rua. Como, também, não sou obrigado a ouvir provocações sobre a religião que sigo. Afinal, Deus nos concedeu o livre arbítrio para fazermos o que quiser da nossa vida. Cada um vai arcar com suas consequências depois.

Repito, enquanto não houver RESPEITO, essa “guerra” não terá fim.

Texto da PL 122/2006: http://migre.me/58ea5

Acompanhe o andamento da PL 122/2006 no Senado Federal: http://migre.me/58eeh

Nenhum comentário:

Postar um comentário